terça-feira, 26 de junho de 2012

0,6 litros aos 100 Kms

De loucos, ou para loucos foi o mote de partida para esta aventura. Verificou-se que a sanidade mental impera no grupo, à excepção de dois mentecaptos que às 7:30h da matina estavam a postos para a partida.
Como segundo consta, a sorte protege os audazes a primeira boa noticia da manhã foi que o tempo se mostrava nublado q.b. para manter a temperatura em níveis aceitáveis.
Quanto ao resto... penso que as fotos e vídeos demonstram razoavelmente ou não, o que se passou...


Quanto aos consumos:
1 mine com elas em Vila Franca de Xira
1 imperial geladissímamente óptima em Alcochete
1 imperial com aditivo na forma de chamuça no Cais do Sodré.


Contas feitas, 0,6l/100Kms.
Gostava de saber se algum híbrido que não sejam o João Santos ou Joaquim Manços conseguem estes valores.


E viva a vida louca!


Já está alinhavada a volta em sentido inverso, ou seja, Algés - Cais do Sodré - Montijo - Porto Alto - Vila Franca de Xira - Algés, o que deve somar cerca de 100Kms  ;)






video











video







video



P.S.: O campeonato de sueca do INATEL, correu bem?

sexta-feira, 15 de junho de 2012

PALÁCIO DO CORREIO MOR À DIREITA


Acordo Domingo de manhã com as galinhas, ainda com o sabor amargo de afinal o repto lançado pelo nosso “Querido e incontornável Líder” Joakim Manços ser apenas na semana seguinte!...Fora da cama; equipado a rigor e com a restante família a “serrar madeira”, achei por bem efetuar um treino ligeiríssimo de estrada e of road!...
video

Deslizei ao sabor do vento até Algés, onde chegado junto ao MARTINEZ decidi voltar a fazer o circuito do “Horácio” ao contrário! Meu dito, meu feito; lá fui até à Expo em velocidade de cruzeiro nunca abaixo dos 20Km/h…havendo espaço para picanço com um indígena numa Epic S-Works que ficou ofendido por ter sido ultrapassado por uma Hardrock com “v-breaks”…
Em Sacavém o trilho do Trancão veio introduzir alguma dificuldade no percurso porque o terreno excessivamente seco e sulcado pelos pneus das biclas partiu-me literalmente os costados, chegando ao vale se S. João do Tojal num trapo.
Mas não sei se por orgulho ou por teimosia só fiz uma pequena pausa em Loures para meter água.
Depois foi trepar pelo caminho agora “vedado” por ser zona de proteção a um magnífico palácio que continua imponente mas decrépito à espera que alguma alma tenha dinheiro para o recuperar!...e lá cheguei ao viaduto sobre a CREL onde se situa o ponto médio da subida, que a partir daí se torna mais fácil por estar agora alcatroada.

video

Chegado a Caneças, enfiei uma bomba de açúcar vulgarmente denominada Coca-Cola para alinhar os níveis de glicose no sangue, e lá parti para Queluz com uma velocidade média superior a 25km/h…
O patrocínio foi desta vez honrado, já sentado à mesa, a comer um belo salmão grelhado!
 Feitas as contas, foram 64Km com uma média de 17,5km/h, apesar do declive vencido entre Loures e Caneças. Nada mau para um treino suave.

domingo, 3 de junho de 2012

Arriba Tejo (Treino ligeiro de estrada)

Na ausência de mais atletas propunha-me a um ligeiro treino para "mexer as pernas". 
Mas um louco não deve ser deixado só. 
Quando verifiquei que, apesar da tardia saída às 9:10h do café matinal na Aquárius, à chegada a Sacavém ainda me sobrava muito tempo para rolar, decidi continuar para Norte.
Pedalada puxa pedalada e siga N10 adiante. Isto era engraçado ir até a Vila Franca de Xira!
Olha que não é mal visto! Há pois não!!!! Vila Franca de Xira só são quase 50 Kms de Linda-a-Velha. Mais propriamente 48,7Kms até ao cais junto à estação de comboios, ao qual cheguei com uma média de 24,7Kms/h. 
Hora de refrescar e hidratar com duas pastilhas das que dão nome à equipa. 
Vai ser bonito o regresso vai! Pensei algo preocupado. 
Fotos da praxe e siga que se faz tarde, pois tinha umas favas regadas a verde tinto à espera. O dito que suporta o peso do corpo do atleta sobre o selim já começava a acusar algum desgaste, e nessa altura mostrava ser a maior contrariedade. 
Regresso pelo mesmo caminho até Sacavém, e a partir de aí escolhia o trajecto mais curto, evitando apenas estradas com portagem. 
No Cais do Sodré, e porque não tinha levado mais nada do que água, recordem que era uma pequena volta para "mexer as pernas", fui obrigado a uma paragem para repor os níveis de açúcar. 
- Bom dia é uma mine sáchavor. 
- Mines nam há, só emperiais! 
- Então uma imperial sáchavor ... e um pacote de açucar! 
Pacote de açúcar deglutido tal como se fosse um comprimido com a ajuda da barrica de imperial e ala que se faz tarde. 
O "melhor" estava para vir. A dócil subida para Linda-a-Velha. Pensei, pensei, pensei e cheguei a conclusão nenhuma em relação ao melhor trajecto para debelar a questão. Subida do Dolce Vita, "prontes"... 
Deve ter sido a vez que fiz esta subida mais lentamente, mas sem nunca desmontar, que o orgulho bruto impera. 
Finda a volta ligeira, no computador de bordo marca 94,45Kms com uma média de 23,7Kms/h 
É o que foi...